La primacía en América del Sur como fundamento de la política exterior brasileña entre 1945 y 1964

André Nassim de Saboya

Resumen


La política exterior brasileña entre el final del Estado Novo y el Golpe de 1964 se caracteriza, en buena medida, por el desarrollismo y la busca de la industrialización de país. Los analistas de ese proceso generalmente se centran en el aspecto económico y en los intereses de las élites civiles, mientras que está poco resaltado lo referente a la búsqueda de poder y primacía. De ese modo, uno de los principales objetivos de los Estados en la arena internacional es ignorado. El desarrollismo económico e industrial no debe ser considerado un fin en sí mismo, visto que el progreso material sirve a determinado objetivo, que, para el Estado, es el aumento de poder. Este artículo busca retomar la geopolítica como uno de los fundamentos de la política exterior y de desarrollo brasileña en el siglo XX, teniendo en cuenta la teoría pionera de Mario Travassos, centrada en la búsqueda de la primacía en América del Sur, y la historia de la política exterior brasileña a lo largo de la República Nova (1945- 1964).

Citas


Abreu, Marcelo de Paiva (2013) “O processo econômico”, em A. C. Gomes (ed.) Olhando para dentro. Rio de Janeiro: Objetiva, 217-220.

Becker, Bertha (2004) Amazônia: Geopolítica na virada do III milênio. Rio de Janeiro: Garamoud.

Becker, Berta K. & Egler, Cláudio A. G (1994) Brasil: uma nova potência na Economia Mundo. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2ª ed.

Cairo, Heriberto (2008) “A América Latina no século XXI: geopolítica crítica dos Estados e os movimentos sociais, do conhecimento e da representação”. Caderno CRH, vol. 21, núm. 53, 221-237.

Candeas, Alessandro (2010) A integração Brasil-Argentina: história de uma ideia na “visão do outro”. Brasília: FUNAG.

Caputo, Ana Cláudia & Melo, Hildete Pereira de (2009) “A industrialização brasileira nos anos de 1950: uma análise da instrução 113 da SUMOC”. Estudos Econômicos (São Paulo), vol. 39, núm. 3, 513-538.

Carvalho, José Murilo de (2005) Forças Armadas e política no Brasil. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Cervo, Amado & Bueno, Clodoaldo (2002) História da política exterior do Brasil. Brasília: IBRI.

Chiavenato, Julio (1981) Geopolítica, arma do fascismo. São Paulo: Ed. Global.

Cruz, José Humberto de Brito (1989) “Aspectos da evolução da diplomacia brasileira no período da política externa independente (1961-1964)”, em Ensaios de História Diplomática do Brasil (1930-1986). Brasília: FUNAG/IPRI, 65-78.

Dantas, Santiago (2011 [1963]) Política Externa Independente. Brasília: FUNAG.

Doratioto, Francisco (2014) O Brasil no Rio Prata (1822-1994). Brasília: FUNAG.

Fernandes, Ananda Simões (2009) “A reformulação da Doutrina de Segurança Nacional pela Escola Superior de Guerra no Brasil: a geopolítica de Golbery do Couto e Silva”. Antíteses, vol. 2, núm. 4, 831-856.

Ferrer, Aldo (2006) A economia argentina: de suas origens ao início do século XXI. Rio de Janeiro: Elsevier.

Furtado, Celso (2005) Formação econômica do Brasil. São Paulo: Editora Nacional.

Giambiagi, Fabio (2011) Economia brasileira Contemporânea (1945-2010). Rio de Janeiro: Elsevier.

Gomes, Angela de Castro (1994) A invenção do Trabalhismo. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2 ed. Gonçalves, Williams & Miyamoto, Shiguenoli (1993) “Os Militares na Política Externa Brasileira: 1964-1984”. Estudos Históricos (Rio de Janeiro), vol. 6, núm. 12, 211-246.

Guglialmelli, Juan Enrique (1978). Geopolítica del Cono Sur. Buenos Aires: Ed. El Cid.

Halperin, Túlio (2010) “A CEPAL em seu contexto histórico”. Revista da CEPAL, número especial em português, 55-76.

Hirst, Monica (2006) “Os cinco «As» das relações Brasil-EUA: aliança, alinhamento, autonomia, ajustamento e afirmação”, em H. Altmani & A. C. Lessa (ed.) Relações internacionais do Brasil: temas e agendas. São Paulo: Saraiva, 94-97.

Jaguaribe, Helio (2013 [1958]) O nacionalismo na atualidade brasileira. Brasília: FUNAG.

Ligiero, Luiz Fernando (2011) A autonomia na política externa brasileira. Brasília: FUNAG.

Mackinder, Halford (1904) “The Geographical Pivot of History”. The Geographical Journal, vol. 23, núm. 4, 421-437.

Malagrida, Carlos Badía (1919) El factor geográfico en la política sudamericana. Madrid: Establecimiento tipográfico de Jaime Ratés.

Marques, Gilberto, S. (2013) “SPVEA: o Estado na crise do desenvolvimento regional amazônico (1953-1966)”. REVISTA Soc. Bras. Economia Política (São Paulo), núm. 34, 163-198.

Martins, Marcos Antônio Fávaro (2011) Mário Travassos e Carlos Badia Malagrida: dois modelos geopolíticos sobre a América do Sul. Dissertação de Mestrado em Integração da América Latina. Escola de Artes, Ciências e Humanidades, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Mello, Leonel Itaussu Almeida (1997) A Geopolítica do Brasil e a Bacia do Prata. Manaus: Ed. da Universidade do Amazonas.

Mello, Leonel Itaussu Almeida (2001) “Brasil e Argentina em perspectiva histórica”. Perspectivas (São Paulo), núm. 24/25, 131-143.

Moniz Bandeira, Luiz Alberto (2010) Brasil, Argentina e Estados Unidos: conflito e integração na América do Sul (da Tríplice Aliança ao Mercosul). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

Moreira, Luis Felipe Viel et al. (2010) As Relações Internacionais da América Latina. Petrópolis: Vozes.

Moura, Gerson (1991) Sucessos e ilusões: Relações internacionais do Brasil durante e após a Segunda Guerra Mundial. Rio de Janeiro: FGV.

Pinheiro, Leticia (2004) Política externa brasileira. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Prazeres, Tatiana (2006) “A Integração Sul-Americana: uma idéia ainda fora do lugar?”, em O Brasil e a América do Sul: desafios no século XXI. Brasília: Fundação Alexandre de Gusmão / Instituto de Pesquisa de Relações Internacionais, 13-59.

Quadros, Jânio (1961) “Brazil's New Foreign Policy”. Foreign Affairs. [En línea. URL: . Consultado dia 20 de setembro de 2016].

Rapoport, Mario (2000) Historia económica, política y social de la Argentina (1880-2000). Córdoba: Macchi.

Ratzel, Friedrich (1897) Politische Geographie. München: R. Oldenbourg

Rodrigues, Lysias (1947) A geopolitica do Brasil. Rio de Janeiro: Ministério da Guerra.

Russell, Roberto & Tokatlian, Juan Gabriel (2003). “O lugar do Brasil na política externa da Argentina: a visão do outro”. Novos estudos, núm. 65, 71-83.

Saraiva, Miriam Gomes (2012) Encontros e desencontros: o lugar da Argentina na política externa brasileira. Belo Horizonte: Fino Traço.

Scenna, Miguel Angel (1975) Argentina-Brasil: Cuatro siglos de rivalidade. Buenos Aires: Ed. La Bastilla.

Shilling, Paulo R. (1981) O expansionismo brasileiro: a Geopolítica do General Golbery e a diplomacia do Itamarati. São Paulo: Ed. Global.

Sikkink, Kathryn (1991) Ideas and institutions: developmentalism in Brazil and Argentina. Ithaca: Cornell University Press.

Silva, Alexandra de Mello e (1992) A política extema de JK: a Operação Pan-Americana. Rio de Janeiro: CPDOC.

Silva, Alexandra de Mello (1995) “O Brasil no continente e no mundo”. Estudos históricos (Rio de Janeiro, CPDOC), vol. 8, núm. 15, 112-113.

Silva, Golbery do Couto e (1967) Geopolitica do Brasil. Rio de Janeiro: J. Olympio.

Silva, Golbery do Couto e (1981) Conjuntura política nacional: o Poder Executivo e geopolítica do Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio, 3ª ed.

Souto, Cíntia Vieira (2014) “A missão militar brasileira de instrução no Paraguai e a aproximação paraguaio brasileira na década de 1940”. XXI Encontro Estadual de História ANPUH/RS, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, Rio Grande do Sul, Brasil.

Spektor, Matias (2002) “O Brasil e a Argentina entre a cordialidade oficial e o projeto de integração: a política externa do governo de Ernesto Geisel (1974-1979)”. Revista Brasileira de Política Internacional, vol. 45, núm. 1, 117-145.

Storni, Segundo (2009 [1916]) Intereses argentinos en el mar. Buenos Aires: Armada Argentina. [Em línea. URL: . Acesso em 18 de setembro de 2016].

Távora, Juarez (1954) Objetivos nacionais permanentes. Rio de Janeiro: ESG.

Teixeira da Silva, Francisco Carlos (2014) “O Brasil no mundo”, em D. A. R. Filho (coord.) Modernização, ditadura e democracia. Rio de Janeiro: Objetiva.

Travassos, Mario (1947) Projeção continental do Brasil. São Paulo: Editora Nacional, 4ª ed.

Vieira, Frederick Brum (2008) Modelo Travassiano – a geopolítica que guia o Brasil na democracia e na ditadura. São Paulo: Milênio.


Texto completo: PDF

Refbacks

  • No hay Refbacks actualmente.





Geopolítica(s). Revista de estudios sobre espacio y poder
ISSN 2172-3958
ISSN-e 2172-7155

© . Universidad Complutense de Madrid
Biblioteca Complutense | Ediciones Complutense