A história da democracia ainda não começou” no Brasil, afirmava o jurista Raymundo Faoro no início da década de 2000

Maria José De Rezende

Resumen


A finalidade deste estudo é mapear em alguns textos de Raymundo Faoro, publicados semanalmente nos anos 2000 e 2001 na grande imprensa, a sua discussão sobre a democracia e a cidadania no Brasil em meio a um amplo debate intelectual e político sobre as possibilidades de estarem ou não emergindo as condições de efetivação tanto da democracia quanto da cidadania. Ele acentuava que não era possível supor qualquer avanço rumo à condição cidadã enquanto não vigorasse no país um Estado de direito democrático. A cidadania e a democracia são partes de um mesmo processo, segundo ele. O desmonte do Estado de exceção no Brasil levou diversas forças sociais a refletir sobre as possibilidades ou não de estar emergindo uma condição cidadã substantiva, por isso, para ele, a institucionalização democrática deveria ser pensada como um dos principais respaldos para a construção do espaço público. Nos seus artigos em semanários de circulação nacional, ele procurava demonstrar que teria de existir uma estreita relação entre os avanços institucionais rumo à democracia e os avanços sociais rumo à efetivação da cidadania.

Texto completo: PDF

Refbacks

  • No hay Refbacks actualmente.





Nómadas. Critical Journal of Social and Juridical Sciences
ISSN-e 1578-6730

© . Universidad Complutense de Madrid
Biblioteca Complutense | Ediciones Complutense